História do Ensino da AP
Francisco Caldeira Cabral, fundador da Arquitetura Paisagista, e docentes de Arquitetura Paisagista, em 1984

Da direita para a esquerda:

António Viana Barreto (1924-2012) – docente na Licenciatura de Arquitetura Paisagista (1984-1988) nas disciplinas de Ordenamento do Território I e II

Francisco Caldeira Cabral (1908-1992) – docente no Curso Livre de Arquitetura Paisagista no ISA (1940-1975);

Julius Gy Fabos (1932-2022);

Carlos Baeta Neves (1916-1992) – engenheiro silvicultor, docente na Licenciatura de Arquitetura Paisagista (1982-1988) na disciplina de Evolução da Paisagem e, na altura, representante do grupo de docentes de Arquitetura Paisagista no Conselho Científico do ISA;

Manuel Sousa da Câmara (1929-1992) – docente no Curso Livre de Arquitetura Paisagista (1976-1981) nas disciplinas de Arquitetura Paisagista I e Arquitetura Paisagista II e na Licenciatura nas disciplinas de Projeto e História de Arte.

Joaquim Elias Gonçalves (n. 1943) – docente no Curso Livre de Arquitetura Paisagista nas disciplinas de Arquitetura Paisagista I e Arquitetura Paisagista II e na Licenciatura de Arquitetura Paisagista nas disciplinas de Projeto e Técnicas e Materiais de Construção;

Gonçalo Ribeiro Teles (1922-2020) – docente no Curso Livre de Arquitetura Paisagista (1957-1963) e na Licenciatura de Arquitetura Paisagista (1989-1992), na altura docente na Licenciatura de Arquitetura Paisagista da Universidade de Évora e ex-Ministro da Qualidade de Vida (1981-1983);

Ilídio Alves de Araújo (1925-2015)

 

Fotografia tirada em 1984 na Rua do Século (Lisboa) por Cristina Castel-Branco, na altura aluna da licenciatura em Arquitetura Paisagista. É um dos raros registos fotográficos de um encontro entre o fundador da Arquitetura Paisagista em Portugal e alguns dos docentes que prosseguiram o ensino de Arquitetura Paisagista no ISA, depois da passagem à reforma do Professor Francisco Caldeira Cabral em 1975. O momento aconteceu no seguimento de uma audiência no Ministério da Qualidade de Vida por ocasião da presença em Portugal, como bolseiro Fulbright do Professor Julius Gy. Fabos, arquiteto paisagista de origem húngara, do Departamento de Arquitetura Paisagista e Planeamento Regional da Universidade de Massachussetts (EUA) e pioneiro mundial no ordenamento do território assistido por computador. Na altura, o corpo docente do ISA, liderado pelo arquiteto paisagista Manuel Sousa da Camara, estava empenhado não só em promover a utilização das ferramentas informáticas no ordenamento do território e no projeto de Arquitetura Paisagista como teve parte ativa e pioneira na sua introdução na Direção Geral do Ordenamento do Território do Ministério da Qualidade de Vida onde o arquiteto paisagista António Viana Barreto era Diretor Geral (1981-1987) e o arquiteto paisagista Ilídio de Araújo era Subdiretor Geral no Porto (1983-1986).

Brevemente: timeline do ensino da arquitetura paisagista no ISA